quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Depois de terminar a leitura de "Black Hole" de Charles Burns e me sentir completamente abalado com tudo.



Eu não cosigo me lembrar
a última vez que passei por aqui
foi há muito tempo
quando me ferí pra te segurar
por pouco, não foi tempo demais

Eu não me lembro quando pensei em voltar
foi uma armadilha do tempo
que me feriu a alma e nosos corações

E todos que nos diziam
que o tempo era justo
não andam mais pelas terras do mundo

Eu tenho que acreditar que as coisas são amáveis
Que eu vivo mais que isso
Que não choro pela vida dos outros
Eu serei mais que isso

E o curso que um dia
me levou ao redor das coisas
por tudo que existe
me deu um toque
que me fez ver a verdade

De minhas mãos para os meus olhos
de minha carne para o infinito
A diferença está no indivisível

Mas a vida tem se mostrado
bem mais ingrata pra mim
eu realmente sinto isso

Somente de onde vc está
E eu estarei
se existir um sentido
mostraremos nossa face

Para o mundo venenoso
Somos mais do que mentiras
Mais que pesadelos

Eu tento acreditar mais nisso
Eu viveria mais que isso
Eu choraria menos no final

Eu serei mais que isso.

Alguém se aproxima do dia
E diz ser alguém para mim
Somente porque teve vontade

E eu sou mais que isso
E eu sou mais que isso
Como serei mais do que mim mesmo

E você me pergunta onde estaremos
Se você puder
Vamos à frente

E se vão os medos
E se vão os transtornos
Eu lhe dou uma chance
Pra fugir sem mágoas
Deste mundo cercado

E a questão é
E a questão é
você aceitaria?

Um comentário:

Vulnavia Phibes disse...

Eu tenho que acreditar que as coisas são amáveis
Que eu vivo mais que isso
Que não choro pela vida dos outros
Eu serei mais que isso


Nossa Robert...fico até com vergonha das minhas crônicas confusas diante da profundidade dos seus escritos...

Mas obrigada por ter lido, e sempre passarei aqui para não perder nada da sua arte!
beijão!