domingo, 4 de abril de 2010

Sobre mundos ainda desconhecidos #21 - Sobre corpos-casas abandonados e momentos de suspensão.

























Em todos estes anos passados por aqui
Meu sangue esfria e minha mente evapora
Este é preço que se paga aos infortúnios
Enquanto estou mudo agora, no canto do quarto
e a chuva nunca leva o calor embora
e eu nunca volto ao lugar
Você não me vê agonizando pela janela deste corpo imundo?
Enquanto o mundo inunda os olhos
o calor do peito insiste em sentir medo de sair
Penso em tudo que deixei pra trás todos estes anos
em busca de um sonho que nem sei se existe mais
ou se seguiu pelo caminho certo
A única quase-certeza é que, no momento,
ninguém mais vive nesta casa ambulante abandonada.

Um comentário:

-í-n-e disse...

"Mas eu sinto que eu tô viva
A cada banho de chuva que chega molhando o meu corpo"

Força...